sexta-feira, 27 de maio de 2011

ENCERRANDO CICLOS

Hoje estou encerrando um ciclo em minha vida. Há algum tempo atrás, recebi o texto abaixo, cuja autoria é desconhecida por mim, e que fala exatamente, sobre encerrar ciclos:

"Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final.

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu.

Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.

O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...

Por isso é tão importante, por mais doloroso que seja, destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração, e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.

Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".

Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa. Lembre-se que nada é insubstituível. Um hábito não é uma necessidade.

Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.

Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Assim é a vida."

sábado, 21 de maio de 2011

AMIGOS

Recebi o texto a seguir da Thida, uma pessoa muito legal e por quem tenho grande apreço. O texto fala sobre como consideramos nossos amigos:

"Amigos... Pensei nas qualidade que os tornam diferentes, naquilo que fazem deles únicos e queridos:

Os brilhantes;
Os que me entendem tanto, mesmo sendo tão diferentes;
Os que me ajudam nos momentos difíceis;
Os que me abrem os olhos;
Os gozadores;
Os intelectuais;
Os que me dão paz;
Os que nunca se animam;
Os que me fazem um carinho;
Os que necessitam de carinho;
Os originais;
Os que necessitam de cuidado;
Os que são capazes de me suportar, seja qual for o meu estado de espírito;
Os que estão sempre alertas;
Os que só mostram uma pequena parte do que são;
Os que dão um jeitinho para tudo;
Os folgados;
Os simpáticos ou emburrados;
Os que estão sempre dispostos a se reunir;
Aqueles que sempre têm alguma coisa para contar;
Os chorões;
Os que estão sempre aí;
Os que invadem a minha praia;
Os que me fazem tremer;
Os cheios de coisinhas;
Os que estão sempre na pendura;
Os super-protetores;
Os mansos;
Os que só pensam em trabalhar;
Os que gostam de se mostrar;
Os que sempre se metem em rolos;
Os que me seguram na hora da raiva;
Os tímidos;
Os curiosos;
Os surpreendentes;
Os que me fazem me render sempre;
Os que vêm sempre de carona;
Os que me fazem rir, de um jeito ou de outro;
Os que dão vontade de dar uma mordida;
Os que enchem a cara;
Os que são parte de mim mesmo;
Os que me cativam e se deixam cativar;
Os que me fazem explodir de felicidade, só porque existem.

A todos os meus amigos, obrigado por terem entrado em meu caminho.

Obrigado por serem aquilo que eu mais preciso."

sábado, 14 de maio de 2011

COMO AS ÁRVORES


Uma amiga do Tagged enviou-me a mensagem abaixo, de autoria desconhecida, que faz uma comparação entre uma árvore e a amizade:

"Uma árvore não fica de costas para ninguém. Dê a volta em torno dela, e a árvore estará sempre de frente para você.

Os verdadeiros amigos também. Dizem os chineses: árvore plantada com amor, nenhum vento derruba! Uma verdadeira amizade, também!

Quem planta árvores, cria raízes. Quem cultiva bons amigos, também!

As árvores, como os amigos, produzem beleza para os olhos e os ouvidos, na mudança sutil de suas cores.

A árvore é sombra protetora, como os amigos; sombra que varia com o dia, que avança e faz variados rendados de luz semelhantes às estrelas.

As árvores são sinônimos de eternidade, e uma verdadeira amizade também é para sempre!"

( Foto : Wilson Luiz Negrini de Carvalho )

sexta-feira, 13 de maio de 2011

A ONDA

Nossa colega Sol, do grupo do Life, enviou-nos esta mensagem, que aparentemente foi concebida para retratar os fatos ocorridos no Japão, há algumas semanas atrás, quando houve o terremoto, seguido do tsunami.

Independente disto, o texto traz mensagens importantes:

Tristes tempos os nossos, em que o individualismo exacerbado impera como regra amplamente difundida e aceita.

Vidas reduzidas a minúsculas caixas, pequeninas zonas de conforto.

Projetos existenciais reduzidos aos interesses próprios e aos da família imediata.

A superficialidade das conversas que ocupam as relações sociais e o nosso dia-a-dia comprova a miopia existencial que impera.

“O meu carro ‘zero’! O plano de saúde ‘top’ da minha família”.

“O meu salário e a minha renda. O apartamento maior para onde em breve pretendo me mudar.”

“O roteiro de férias da minha família! Quer ver as fotos dos meus filhos, em Orlando, com Mickey e Pateta?”

“O meu laptop de última geração! Não que o outro, que havia comprado há pouco, fosse ruim, mas lançaram este e tenho que ostentar.”

“O meu tempo livre: Big Brother, Faustão, passeio no shopping, futebol e novela...”

E vem a onda gigantesca sacudir as nossas rasas convicções, e remeter os olhos dos que queiram enxergar, para as coisas que realmente importam.

Diante das forças imponderáveis da existência, até mesmo o monte Fuji vê sua opulência perdida.

Era para ser mais um dia de rotina e afazeres, como outro qualquer, não fosse a grande onda.

Um breve instante, e tantos planos, projetos e existências arrasados.

Viver é dançar na corda oscilante do inesperado.

Não convém depositar a nossa confiança nos bens materiais, nos dias e nas horas.

Os bens materiais não resistem às tempestades e intempéries da vida. Não convém depositar neles a nossa confiança.

“Impermanência” é o outro nome para a vida terrena.

A vida é como uma rosa que nos inebria com o seu perfume e nos dilacera com os seus espinhos.

Sabedoria é empreender a travessia pelo árido deserto da existência, rumo ao oásis verdejante da essência.

E de frente para o mar, absortos em pensamentos, ponderamos: “A vida é breve demais para que a façamos pequena.”

domingo, 8 de maio de 2011

DIA DAS MÃES

Hoje, Dia das Mães, farei uma homenagem à minha mãe.

Mãe sempre é especial, e a minha, é mais ainda. Até hoje, ela sempre tem uma atenção especial comigo e com meu irmão.

Assim como a vida de todas as pessoas tem "altos e baixos", nossa vida também teve, e nos momentos mais difíceis, me admiro da garra e da força de minha mãe, para levar a vida em frente, com dois filhos ara criar, sempre lutando. Aliás, lutando até hoje.

Lembro-me claramente de muitas passagens de minha vida, desde que eu era muito pequeno, e sempre percebo a atitude positiva e carinhosa de minha mãe.

Peço licença à minha mãe, para homenagear também, outras pessoas de minha família, algumas vivas e outras que já estão no mundo espiritual, mas que de certa forma, me consideram e tratam como um filho.

Tudo isto faz com que eu me sinta alguém muito especial. Sou muito grato a Deus, por ter a mãe e os parentes que tenho. Peço a Deus que ilumine e guarde a todos.

Já li vários livros de espiritismo que falam sobre a relação de parentesco espiritual, e de vez em quando, me pego pensando nisto: de onde vem nossa ligação espiritual? De onde vem eu não sei, mas pela força que existe entre nós, sei que é eterna.

Um grande beijo,

Wilson Luiz Negrini de Carvalho


Deixo aqui também, os parabéns, a todas as mães do mundo, pelo Dia das Mães.

domingo, 1 de maio de 2011

FRASES QUE GOSTO (MAIO/2011)

Frases deste mês:
  • Aqueles que gastam mal seu tempo, são os primeiros a se queixar de sua brevidade. - Jean De La Bruyère
  • Há uma lei mental que diz que a oferta e a procura são uma só coisa, que o que você busca está à sua procura e que a Inteligência Infinita encaminhará você para seu verdadeiro lugar. - Joseph Murphy
  • Excelência não é uma exceção, é uma atitude permanente.
  • Não julgue cada dia pela colheita que fez, mas pelas sementes que plantou.
  • Obstáculos são as coisas assustadoras que encontras, quando desvias os olhos do teu sonho.